Ao longo dos anos, o trabalho da ABBA foi ganhando novas formas, mas sempre mantendo o mesmo fundamento. O envolvimento com aqueles que viviam em situação de rua nos levou à criação dos projetos de abordagem de rua, abrigos e do projeto de acolhimento familiar; a busca por prevenir essa vivência de rua levou à criação de centros comunitários nas periferias da cidade; e a tentativa de dar mais condições de vida para quem vivia ali nos levou à criação de um projeto de formação profissional. Hoje essas são as quatro áreas de atuação da ABBA: prevenção, intervenção, proteção e formação. A cada passo dado, e cada mudança passada, a ABBA parece chegar mais próxima de sua visão: ver cada criança, adolescente e jovem de nosso país tendo condições de se desenvolver plenamente em todas as dimensões da vida, a partir do cuidado paterno de Deus.

Prevenção

Contribuir para a defesa da dignidade humana e dos direitos da criança e do adolescente em situação de risco e vulnerabilidade social.

Intervenção

De acordo com uma pesquisa da Secretaria de Direitos Humanos, em parceria com o Instituto de Desenvolvimento Sustentável (IDEST), há 24 mil crianças e adolescentes em situação de rua no Brasil. Para crianças e adolescentes, especialmente, a ida à rua é uma resposta a uma situação de extrema pobreza, abandono, negligência ou violência que lhes foi imposta no ambiente familiar. Nisso vemos as causas e as consequências de uma vida repleta por relacionamentos rompidos, impedindo o pleno desenvolvimento dessas crianças e adolescentes. Os efeitos de uma infância ou juventude desperdiçada, assim, se estendem por toda a vida e afetam toda a sociedade. Diante da característica desenraizada da situação de rua, de sua causa principal nos problemas familiares e da dificuldade de acolhimento institucional, temos que nos voltar para o fortalecimento e a restauração dos relacionamentos familiares como principal estratégia de trabalho.
Contribuir para a defesa da dignidade humana e dos direitos da criança e do adolescente em situação de rua, minimizando os impactos da vivência nas ruas.

Proteção

Existe, atualmente, mais de 33 mil crianças e adolescentes em situação de acolhimento institucional. Legalmente, a negligência, o abandono e a violência por parte do adulto responsável formam o critério para a destituição de guarda. É neste contexto que o trabalho junto às famílias de origem se torna tão fundamental em nossa frente de proteção. A ABBA acredita que a família de origem tem prioridade no cuidado de seus filhos, sendo este o melhor ambiente para o desenvolvimento humano. No entanto, diante desses dados, nem sempre a família de origem tem as condições adequadas para tanto, o que exige um trabalho árduo de proteção dos direitos da criança e do adolescente. O compromisso da ABBA com a família, desde sua origem em 1993, a torna uma instituição pioneira no desenvolvimento de serviços de acolhimento institucional e familiar. O valor da família se reflete em nosso esforço por assistir as famílias de origem a fim de que recebam de volta a guarda de seus filhos; assim como no trabalho pioneiro de promoção do acolhimento familiar por meio de divulgação de informação, formulação de material, organização de palestras e congressos, até chegarmos ao recrutamento de famílias e o encaminhamento de crianças para famílias acolhedoras. Para a ABBA, no cerne do valor da família para o pleno desenvolvimento humano, está a crença no projeto divino, que impulsiona o compromisso de fazer com que todo ser humano possa viver em família.
Fonte: gov.br/cidadania/pt-br
Contribuir para a defesa dos direitos da criança e do adolescente em situação de risco e vulnerabilidade social, suprindo suas necessidades materiais, mentais, emocionais, sociais, morais e espirituais, para que se desenvolvam plenamente em todas as dimensões da vida.

Formação

Diversos fatores contribuem para a caracterização de uma situação de risco e vulnerabilidade social, a falta de qualificação profissional e o desemprego são dois deles. Um retrato significativo demonstra a relação entre esses dois fatores e condições sociais graves, como índices altos de informalidade, terceirização e instabilidade, que enfraquecem a força do trabalho e o potencial econômico do indivíduo, sua família e a sociedade como um todo. O impacto social concreto dessas condições pode ser verificado entre as famílias que tiveram seus filhos encaminhados para o serviço de acolhimento institucional por terem seus direitos violados no meio familiar. Nessas famílias, 19% dos pais ou responsáveis estão desempregados e somente 12% dos pais ou responsáveis têm ocupação formal de carteira assinada. Tais condições tendem a se repetir de geração em geração, criando um ciclo de risco e vulnerabilidade social, falta de qualificação profissional e desemprego, e prejuízo do pleno desenvolvimento humano de crianças e adolescentes. Foi então que criou-se uma forte motivação em nós para darmos uma resposta a essa realidade, e assim trabalhamos para criar nossa área de formação profissional de jovens que se encontram nesse ciclo.
Nossa área de formação tem como objetivo criar e coordenar empresas de excelência profissional, oferecendo produtos e serviços de alta qualidade; incorporar em nossa equipe jovens em situação de risco e vulnerabilidade social, especialmente que tenham vínculos com outros projetos da ABBA.